Cart

Perguntas & Respostas do Sai Uvacha

Dezembro 2022



Discurso de 28 de fevereiro de 2015 Muddenahalli

Se tiverem alguma dúvida ou pergunta, podem Me perguntar agora. (Ninguém fez pergunta.) Vocês são todas pessoas muito conhecedoras. Estou com dúvidas se entenderam o que lhes disse, ou não! (Risos)


Pergunta: 
Swami, o Senhor pode nos dar instruções específicas para que possamos entrar em ação imediatamente?

Swami: Se vocês querem participar de uma corrida, não podem simplesmente sair da cama e correr, mas precisam praticar. Somente quando praticarem todos os dias, poderão finalmente participar. Se lhes dou oportunidades de serviço, primeiro vocês devem praticar todos os dias. As oportunidades estão disponíveis, mas vocês não estão prontos – preparem-se e retornem.

Como devem se preparar? Abandonem seus medos, desenvolvam confiança em Deus sem pedir nada para si mesmos e uma abertura de coração de que o mundo inteiro é sua família. Não tenho certeza se estão fazendo ou não Meu trabalho corretamente, mas definitivamente Eu farei o seu trabalho corretamente. Desse dia em diante, desse exato momento, não pensem mais apenas em si mesmos; pensem no bem-estar de todos os outros. Assim que tiverem essa experiência, vocês abandonarão o medo. Sejam destemidos o tempo todo – esse é o tipo de pessoa que quero.

Como farão isso? Se querem seguir o caminho do serviço, precisam de muita coragem. Devido ao impacto da Kali Yuga, todos os tipos de desafios e obstáculos ocorrerão, com as pessoas os criticando. Vocês devem manter o objetivo em mente o tempo todo e simplesmente seguir o caminho. Enquanto houver algum traço de egoísmo em vocês, não serão capazes de realizar nenhum serviço verdadeiro. Mesmo que limpem uma jarra inteira, mas se restar um pouquinho de sujeira, assim que derramam o leite, ele estragará. Vocês podem preparar um bom payasam, mas uma gota de querosene o arruinará. Nem pensar em Deus – nem mesmo um cachorro comeria esse tipo de payasam! Vocês precisam garantir que não vão reter nem uma gota de egoísmo; somente quando forem assim, poderei dar-lhes o tipo certo de serviço. A partir desse momento, terão que começar a fazê-lo.

Tornem-se destemidos e desenvolvam uma fé firme de que cuidarei de vocês – isso é o suficiente. Pratiquem primeiro e depois voltem e os chamarei e darei trabalho. Quando estão tremendo de medo, não podem prestar nenhum serviço; não posso colocar coisas valiosas em mãos trêmulas, porque elas cairão. Não é simplesmente vir e servir por um dia; vocês devem estar prontos para servir por toda a sua vida. Então pratiquem por um tempo e depois retornem.

Durante um mês, a todo instante, pratiquem pensar em todos os outros, não em vocês. Fornecerei o que precisarem. Desenvolvam fé e coragem nisso antes de voltar. Se não conhecem os números, como aprenderão adição e subtração? Primeiro pratiquem e voltem no próximo mês. Eu os chamarei e discutirei tudo.

Pergunta: Swami, no momento, alguns de nós estão servindo uma vez por semana, ou uma vez por mês ou algumas vezes por mês. A questão é que temos uma profissão, a fim de cuidar de nós mesmos e de nossas famílias. Deveríamos sacrificar nosso tempo de trabalho profissional para prestar mais serviços ou deveríamos parar com nosso trabalho profissional? Para alguns de nós, é possível parar nosso trabalho profissional, mas para outros não é possível. Então, sacrificar o tempo de trabalho profissional é a única maneira de aumentar a quantidade e a qualidade do serviço ou sacrificamos mais tempo de serviço?

Swami: Lembro-lhes que nada pode ser classificado como ‘trabalho de Swami’ e ‘trabalho que não é de Swami’. Como vocês trabalham por dinheiro, estão se referindo a ele como uma profissão. Aqui, vocês não recebem dinheiro, então pensam nele como serviço. Essa não é a verdade. Qualquer que seja o trabalho que façam, façam-no pelo amor a Deus. Vocês precisam ganhar dinheiro, pois é necessário cuidar de sua família – mas não é bom trabalhar pelo dinheiro e com ganância. Como sabem, economizar dinheiro e pensar no futuro o tempo todo não é certo. É sua responsabilidade cuidar de sua família o quanto for preciso – mas quando pensarem nela como a família de Swami, e não a sua, experimentarão grande alegria. Cuidem de sua família e sejam úteis em seu trabalho profissional. Qualquer tempo que restar, na medida do possível, engajem-se em serviço gratuito. Em tudo que façam, a qualidade do amor deve estar presente. Se vão para o trabalho e exercem sua profissão sem amor, isso não é realmente um serviço e se torna dever sem amor. Ele deve ser feito com espírito de amor, sem o senso de dever.

Por que vão trabalhar? Não pensem que vão lá por causa do seu sustento. Pensem: ‘Estou indo trabalhar para servir às pessoas. Posso usar o salário para cuidar da minha família, mas não vou por causa disso; estou indo para servir’. O trabalho é o mesmo, depende apenas de como o veem. Não é correto simplesmente continuar ganhando cada vez mais dinheiro por medo do futuro. Façam o que for necessário e cuidarei de todo o resto. Se são totalmente dependentes de si mesmos, como dependerão de Mim? Não deixem que isso aconteça.

Finalmente, quando construirmos muitos hospitais, instituições educacionais e acampamentos médicos, vocês podem participar; até lá, por que vão para o escritório e o hospital? Não pensem no salário, mas na alegria de poderem servir aos outros – e aceitem o salário que vier como um presente de Deus quando estão a serviço. Não trabalhem por ganância; trabalhem onde seu coração possa se alegrar.
Muitos de vocês aqui são médicos que oferecem um ótimo serviço. Havia uma senhora chamada Sakkubai. Ela simplesmente preparava bolos de estrume de vaca enquanto cantava o nome de Panduranga. Embora fosse uma grande devota, não conhecia os Vedas ou Upanishads. Um homem chamado Ramdas foi ver que tipo de devota ela era e a ouviu cantando. O nome de Ranga emanava até dos bolos de esterco de vaca que ela preparava.

Sakkubai era uma mulher analfabeta, mas ainda assim conhecia a verdade. Como vocês todos são educados, devem aprender com facilidade. Vocês têm que trabalhar pelo objetivo supremo da vida, não pelo seu sustento. Quando forem servir, sintam que estão indo com amor e alegria e que servirão à sociedade. Ofereçam o que fazem a Deus e trabalhem com o espírito de que o fazem para o prazer de Deus e aceitem o salário que vier como um presente Seu. No tempo restante, vocês podem estar a serviço dos demais. Mudem sua atitude. Não dividam o trabalho em ‘seu trabalho’ e ‘trabalho de Deus’ – todo trabalho é obra de Deus.

Pergunta: Swami, por que Sri Madiyal Narayan Bhat, que nasceu para prestar tanto serviço, sofreu uma morte tão prematura?

Swami: Vocês estão perguntando apenas sobre Sri Madiyal Narayan Bhat. Antes dele vieram Adi Shankara, Vivekananda e outros – e eles? Adi Shankara morreu aos 32 anos, Vivekananda morreu aos 40, Narayan Bhat morreu aos 50. Suas vidas eram vidas de qualidade, não de quantidade. (Aplausos) Fizeram o que se esperava que fizessem nesse mundo.

Tudo acontece de acordo com o Meu plano; um mês antes de Madiyal Narayan Bhat falecer, liguei para ele e perguntei: “Está pronto para vir para Mim?” Ele estava fazendo muitos preparativos para Me receber em Alike. Estava orando para que Eu fosse até ele. Disse-lhe: “Não irei até você; você tem que vir até Mim. Enquanto estiver por aí, os outros não aprenderão nada; quando você vier a Mim, eles aprenderão suas lições. Você está pronto para vir para Mim?”

Ele entendeu o que Eu quis dizer e disse: “Sempre que o Senhor me chamar, estou pronto para ir”. Quando o chamei, tudo o que fez foi deixar o corpo. Ele tem estado Comigo todo esse tempo, trabalhando ao Meu lado, até mesmo agora. Estou fazendo tudo isso por causa do seu desejo.

Sempre sinto que devem servir, mas preciso de um motivo para intervir. Shiva deu o Ganges ao mundo, porque Bhagiratha rogou a Ele. Porque Narayan Bhat orou a Mim, estou estabelecendo agora as instituições educacionais. É tudo um teatro, a lila de Deus (jogo divino). Quando seu papel termina na peça, tem que sair do palco para que outros possam entrar e se apresentar. Não é certo pensar que deveriam ficar no palco permanentemente. Narayan Bhat terminou seu papel e voltou aos bastidores após cumprir seu trabalho.

Estão em um palco diferente agora e vocês têm que fazer isso. Analisar por que ele veio e por que partiu não é necessário. O que precisam saber é porque vocês vieram e o que vocês devem fazer. É necessário encontrar realização em suas próprias vidas. Se apenas estão fisicamente presentes no mundo, não encontrarão tal realização.

Vão para Raipur ver o hospital. Quando Eu estava no corpo físico e construí hospitais, as pessoas pensaram: ‘Swami é Deus, Ele pode fazer qualquer coisa’. Hoje, mesmo sem estar mais fisicamente presente, os hospitais ainda estão sendo construídos. O Ministro Chefe o visitou e disse: “Tudo isso é possível por causa das bênçãos de Swami, nada mais. Sei que Swami está aqui, fazendo tudo. É um grandioso ideal”. Embora Madiyal Narayan Bhat não esteja aqui, todo o trabalho que queria fazer está sendo feito. Quer seu corpo esteja presente ou não, seus ideais devem continuar no mundo; só então vocês obterão a imortalidade. O dinheiro vem e vai, mas a moralidade vem e cresce. Desde que Madiyal Narayan Bhat partiu, muito trabalho bom foi realizado. Por causa do seu sacrifício, ele obteve a imortalidade.

Vejam, o sacrifício de uma pessoa levou a tanto trabalho bom. Se todos vocês se reúnem e fazem sacrifícios, isso pode levar a um ótimo trabalho. Considerando que um Madiyal Narayan Bhat pôde fazer tanto, se todas as centenas de crianças aqui se tornarem Madiyal Narayan Bhats, quanto vocês podem alcançar. Ele veio por um ideal, estabeleceu esse ideal e, tendo-o alcançado, partiu. Agora vocês têm que estudá-lo e aprender com ele em suas próprias vidas.

Pergunta: Swami, conhecemos Sua vontade e plano divinos. Como sabemos se estamos indo contra a Sua vontade divina ou a favor dela?

Swami: Cada um nascido na terra tem dois tipos de vontade: a vontade divina e a vontade humana. O que isso significa? Suponha que você queira viajar daqui para Bengaluru; se não parar chegará lá dentro de duas horas. Precisar de apenas duas horas é a vontade divina, a única ferramenta que precisam. Se, durante sua viagem, for à casa de seu amigo e passar duas horas lá comendo e conversando, quando chegar a Bengaluru, terá levado quatro horas. De acordo com a vontade divina, são apenas duas horas, mas, devido à sua vontade, elas se tornam quatro horas.

Dei o livre arbítrio a cada pessoa; está na sua cabeça, mas a vontade divina está no coração. Quando usa a cabeça, procede de acordo com a sua vontade. Quando usa seu coração, então é a Minha vontade. Somente quando seguir seu coração, seguirá a vontade divina.

Como sabe que está seguindo o coração? Ele sempre diz coisas altruístas. Ele deseja que todos sejam felizes, não apenas você. A cabeça está cheia do sentimento ‘eu’, mas o coração pensa em todos os outros. O coração não depende de lugar, hora ou circunstâncias. Em todos os momentos, em todos os lugares, ele lhes fornece apenas uma direção; ele não mudará de acordo com as circunstâncias. Quando seguirem o coração, terão paz de espírito imediatamente. Quando seguirem a mente, ficarão confusos – hoje estão felizes, amanhã estarão infelizes; então seguem outra coisa. Se seguirem sempre o coração, serão sempre felizes. O coração é altruísta, enquanto a mente é egoísta. Quando tentam seguir seu coração, sua mente intervém e se torna um obstáculo. Precisam silenciá-la, pois ela cria ruído, enquanto o coração lhes dá a ‘voz’. Se querem ouvir a voz do coração, precisam acalmar o barulho e entregar sua mente a Deus. Quando Lhe entregarem a sua vontade, somente a vontade divina permanecerá. Entreguem sua mente a Mim e sigam seu coração, então ficarão em paz. Seja qual for o seu trabalho, apesar de todas as dificuldades e adversidades, serão sempre felizes.

Quando enfrentam dificuldades, entendam que estou lhes ensinando uma lição. Sem duvidar, tentem entender Meu propósito. Mesmo em tempos de felicidade, devem saber que Deus está lhes concedendo esse sentimento, assim exaltação na alegria e desespero na tristeza não ocorrerão, e sempre experimentarão a equanimidade. Desenvolvam essa confiança equilibrada em Deus, então terão a equanimidade na mente.

Como saber? Se seguem o coração, saberão; quando seguem a mente, haverá confusão – o que pensam como sendo a verdade hoje mudará amanhã. Aquilo que muda é impermanente e Deus é permanente; o coração é permanente, mas a mente não. Se seguem o coração, estão seguindo a vontade divina.

Pergunta: Swami, quando o Senhor nos instrui a meditar, em que exatamente precisamos nos focar ou nos concentrar? Apenas cantamos o Seu nome ou visualizamos a Sua forma?

Swami: A meditação é o terceiro passo. A concentração é o primeiro. A contemplação é o segundo. É concentração, contemplação e então meditação.

Primeiro, você tem que desenvolver a concentração. O que é concentração? Focar sua mente em uma coisa é concentração. Pode ser qualquer coisa. Pode ser Minha forma, uma lamparina ou uma chama. Primeiro, vocês devem aprender a concentração. A mente sempre se volta para fora e vocês têm que voltá-la para dentro, usando a concentração. Primeiro, precisam praticar e, quando o fizerem, sua mente se tornará estável.

Concentração é focar sua mente em algo por nove a onze segundos. Se fazem isso nove vezes, isso se torna contemplação e nove vezes o tempo da contemplação se torna meditação. Quando praticarem a concentração pela primeira vez, podem focar sua mente em qualquer coisa, como em Minha fotografia, em um pensamento, em uma ideia ou qualquer coisa. No entanto, primeiro vocês precisam estabilizar sua mente – somente então alcançarão a meditação. Quando atingem a meditação, qualquer sentimento que surgir do seu coração deve ser entendido. Quando pensam que estão olhando a foto de Deus, isso é apenas concentração, não meditação. Quando pensam que estou sentado lá e querem Me experimentar, isso também é concentração, não meditação. Quando se concentram, há uma tentativa ou esforço de sua parte. Por outro lado, a meditação não tem esforço, pois vem de dentro e acontece naturalmente. Quando Me veem e alguns sentimentos e pensamentos surgem naturalmente, isso é meditação. Portanto, antes de tentar meditar, aprendam a concentração primeiro.

O que estão fazendo é concentração, não meditação. Estão tentando meditar, mas com a meditação, não há esforço de sua parte, já que acontece espontaneamente – não terão a sensação de estar meditando; ela acontece por si só. Se praticarem a concentração, ela se tornará meditação. Podem praticar a concentração com qualquer coisa: uma pessoa, um pensamento ou algo assim. Quando aprendem isso, passarão para a meditação. Meditação não é algo que vocês fazem; Deus fará tudo e Lhes dirá o que quer dizer, mostrará o que quer mostrar e fará qualquer coisa que queira que aconteça, acontecer. Vocês não estão fazendo nada na meditação. Ela ocorre quando silenciam sua mente, quando não há ruído e podem ouvir a voz interior.

Pergunta: Swami, por favor, ensine-nos a amar incondicionalmente, como o Senhor nos ama.

Swami: Vocês amam apenas a si mesmos e não aos outros? Existem condições? Elas não devem existir. Existem condições quando querem comer? Quando querem dormir? Vocês fazem isso espontaneamente, por causa do seu amor por si mesmos. A confusão surge quando pensam em uma pessoa como alguém que não é vocês. Quando amam, sabendo que a outra pessoa é uma forma de si mesmos, então esse mesmo amor irá para ela. Vocês precisam desenvolver a sensação de que todos lhes pertencem, passando do ‘eu’ para o ‘nós’. Saibam que todos são uma encarnação do Divino. No entanto, quando não conseguem ver a divindade dentro de si, como podem vê-la fora?

‘Ele’ é a terceira palavra; ‘nós’ é a segunda. Se querem passar do ‘eu’ para o ‘Ele’, primeiro precisam avançar para o ‘nós’. Vocês amam a si mesmos incondicionalmente; da mesma forma, devem aprender a amar aos outros incondicionalmente. Precisam desenvolver a sensação de que, o que quer que façam aos outros, chega a Deus. Saber que chega a Mim é bom; portanto, progridam do ‘eu’ para o ‘nós’ e do ‘nós’ para o ‘Ele’.

O verdadeiro altruísmo é quando você tem dez rúpias no bolso e, quando alguém precisa, dá a ele todas as dez rúpias. Se, em vez disso, calculam cinco rúpias para essa pessoa, duas rúpias para o café da manhã e outras duas rúpias para o almoço, isso não é altruísmo.

Krishna conversava com Arjuna e disse: “Não há ninguém maior que Karna para dar esmola”.

Arjuna ficou muito zangado e disse: “O Senhor está sempre me falando de Karna e nunca fala de mim”.

Krishna queria ensinar uma lição a Arjuna. “Existem duas pilhas de ouro. Distribua todo o ouro para todos os aldeões. Assim você também será conhecido por sua generosidade”.

Arjuna foi à vila e convocou uma reunião com todos. “Existem duas pilhas de ouro aqui e sou o encarregado delas. Listem quanto ouro querem e darei a vocês”.

Os aldeões fizeram sua lista e voltaram até ele. Ele deu de acordo com a lista, mas ainda havia ouro, então a ordem de Krishna não foi completada. Finalmente, Arjuna ficou muito cansado e chamou Karna. Mostrou as pilhas, dizendo: “Existem duas pilhas de ouro. Distribua para todos os moradores. Quanto tempo precisará?”

“Você verá”, disse Karna.

Karna foi em direção às pilhas, para onde dois homens se aproximavam. Chamou-os e disse: “Essas duas pilhas de ouro são para vocês. Usem-nas como quiserem”. Retornou, e junto com Arjuna, voltou para as pilhas. Então Arjuna entendeu o significado do que havia acontecido. Quando vocês têm o coração aberto de que devem dar, o valor não está no ouro, que realmente não tem valor em si. Dar é o valor. É por isso que Karna tinha tal reputação. Arjuna aprendeu sua lição: o amor não calculará quanto dinheiro vocês têm, nem quanto devem dar. Devem dar tudo o que têm e ter a fé de que Deus lhes dará mais. Quando pensam que precisam cuidar de si mesmos, não podem ser altruístas.

Pergunta: Swami, após o Seu advento na Forma Sutil, houve uma espécie de divisão entre os devotos. Há pessoas que acreditam nela e outras não. Quando essa divisão findará? Quando diminuirá, sem sair do controle? Estamos nos dividindo progressivamente em dois, mesmo entre os estudantes e os devotos.

Swami: Já falei sobre isso antes, mas falarei novamente. Por que vim? Vim para construir escolas? Para construir hospitais? Para construir ashrams? Para ganhar nome e fama? Para que os devotos Me aceitassem? Para coletar doações? Não, não mesmo. Vim para torná-los conscientes de sua própria divindade. Farei isso ao máximo que puder.

O que aconteceu antes foi como a escola primária. Quando estão na escola primária, vocês têm amigos dali. Quando vão para o ensino médio, vocês deixam seus amigos do primário. Algumas pessoas vão embora e outras retornam. Se quiserem voltar para seus amigos da escola primária, podem fazê-lo, mas isso não é progresso. Se querem fazer progresso espiritual, podem ir para o ‘ensino médio’ espiritual e, de lá, para a universidade. Vocês têm que digerir essa sabedoria. É por isso que comecei essa escola média.

Mesmo assim, dou Minhas bênçãos a todos, já que não faço divisões. Quando a mão direita escreve e a mão esquerda não, vocês não fazem distinção entre elas porque a mão esquerda não pode fazer o que a direita faz, ou vice-versa. Não pensem que são diferentes; ambas são membros do mesmo corpo. Não faço distinções.

Estou constantemente Me esforçando para servir a todos. Não suficiente parar de prestar serviço e simplesmente continuar fazendo puja (ritual de adoração) ou japa (repetição dos nomes divinos). É como olhar para um chapati, falar sobre ele, ouvir o canto de ‘Chapati’, mas não o comer.

Quero que mais e mais estudantes venham para cá, existem muitas pessoas pobres sem educação; temos que lhes fornecer essa educação. Temos que construir hospitais. Se Eu tiver que fazer isso, então todos devem estar prontos. Onde estão as pessoas prontas? Há muitas que ficam sentadas de seis a sete horas cantando bhajans. Há pessoas na noite de Shivarathri que cantam bhajans por doze horas e até quem canta por vinte e quatro horas. As pessoas que estão prontas para trabalhar por todas as vinte e quatro horas, passando por dificuldades e ofertando serviço, são muito menos numerosas. Há muitas que se sentam em um monte e dizem que tudo já foi desenvolvido, mas muito poucas estão prontas para fazer o trabalho.

Nasci para o trabalho, estou fazendo o trabalho. Onde quer que Meu trabalho aconteça, estou lá. Vim aqui porque o trabalho está acontecendo aqui. Por que os chamei? Não os chamei aqui para cantar bhajans. Chamei-os porque devem estar prontos para servir.

Chega de conversa! Vocês têm trabalho a fazer. Se uma mãe fica dizendo ao filho: “Te amo, te amo”, mas não o alimenta, isso não é amor verdadeiro. Estou lhes dizendo tudo isso porque são Meus filhos – mas não há necessidade de declarar isso às pessoas de fora.

Mesmo enquanto Sreenivas construía o Hospital de Raipur, Eu lhe dizia para construir um novo hospital em Délhi. Sreenivas nasceu em Hyderabad. Ainda menino, veio a Mim e ficou Comigo. Está Me servindo constantemente. Quando se aposentou da vida ativa, lhe disse para ir a Raipur e construir um hospital. Sem hesitar sequer por um momento, só com aquelas Minhas palavras, ele partiu para um lugar desconhecido. Suponham que Eu pedisse a todos vocês, aqui e agora: “Vão para Raipur e construam um hospital”, quantos iriam? Suponham que lhes diga: “Desistam do conforto do lar em Bengaluru, vão para Raipur e comecem um hospital”, quantos de vocês estão prontos? Também não lhe dei nenhum dinheiro; ele trabalhou duro e o construiu sozinho.

Com a mesma idade, Narasimha Murthy queria viver uma vida feliz e aposentado. Enviei-o para todo o lado – para cidades como Gulbarga, Mandya, Jayapura, Bagalkot, Bijapur, Chikabalapur – e até para Cingapura. Onde quer que o tenha enviado, ele foi. Não se importou nem mesmo quando muitas pessoas o criticaram. Seu único pensamento era: ‘A primeira coisa que tenho a fazer é o que Swami me diz para fazer’.

Tenho apenas um desejo: compartilhar Minha alegria com todos. Se os devotos não puderem vir aqui, irei vê-los; amo isso. Se amam isso, também podem fazê-lo. Não faço distinções de nenhum tipo e vocês também não deveriam fazer.

Vocês têm que entender o princípio de Sai: Sai não é o corpo; Sai é Deus. Não podem dizer que Deus está em um lugar e não em outro. Tudo o que Ele faz é Sua lila (jogo divino). Vocês nunca perguntaram por que Sai Baba nasceu em Putaparthi, mas não em Bengaluru; nunca perguntaram por que chamo vocês, mas não os outros – ainda assim, perguntam por que estou fazendo isso agora. Nunca perguntariam se entendessem o princípio de Sai. Somente quando pensam em si mesmos, farão essa pergunta.

Embora tenham meios limitados, eles têm grande fé quando digo que o farei, e essas pessoas estão assumindo esses projetos. Outros, que têm muito dinheiro, hesitam várias vezes antes de iniciar qualquer atividade de serviço.

(Referindo-se a Narasimha Murthy) Podem falar com ele sobre isso; Ele Me pediu para aumentar as taxas do alojamento, mas não aceitei. Não só isso, havia algumas escolas aqui onde Eu queria abolir as mensalidades. Por quê? Quando a escola está em Meu nome, não devem cobrar taxas.

Disse a ele: “Se quer aceitar as taxas, chame-a de ‘Escola Narasimha Murthy’ e não ‘Escola Sathya Sai’”. De onde vem a coragem para simplesmente abolir as taxas, construir escolas e dar educação gratuita? Vem da fé de que estou aqui e não fui a lugar algum; essa é a fonte da coragem. (Aplausos)

Putaparthi é Minha, Brindavan é Minha, Mudenahali é Minha, a América é Minha, o Japão é Meu, Cingapura é Minha – tudo é Meu. Para pessoas de mente aberta, o mundo inteiro é uma família; apenas pessoas de mente estreita veem divisões. Disse a Narasimha Murthy para não se preocupar com o que os outros dizem. Vocês não devem falar só através de palavras, mas através do trabalho. (Aplausos) Nosso trabalho falará por nós. Não precisam contar nada a ninguém. Somente quem não trabalha continuará falando, porque eles não têm outro trabalho. Para aqueles que trabalham, não há tempo; sua vida é um trabalho em si. Portanto, sem palavras, apenas trabalho.

Pergunta: Swami, tenho duas perguntas. Como equilibramos trabalho, família e serviço, especialmente quando se trata de nossos cônjuges, que ficam infelizes quando não dedicamos tempo suficiente em casa? Como lhes agradamos? Minha segunda pergunta é: quando fomos para nossa entrevista em grupo, Swami nos disse, especialmente para os médicos, para servirmos uma vez por semana. Como é possível? Por favor, nos guie, Swami.

Swami: Há apenas uma resposta para essas duas perguntas; se fizerem Deus feliz, todos serão felizes. (Aplausos)

Se tentarem fazer todo mundo feliz, não farão ninguém feliz. Siga o que está em seu coração. O verdadeiro significado de patni (esposa) é dharmapatni (parceira ideal na vida) – ela precisa se juntar a você no caminho do darma. É por isso que é uma dharmapatni e não uma kamapatni (esposa casada apenas por prazer). Às vezes, sua esposa dirá que você sempre sai para trabalhar, mas não faz nada em casa. Sem dúvida, você tem uma responsabilidade com sua família e precisa cuidar dela, assim sendo esse é o seu darma também. Se os ama e os servir incondicionalmente, eles mudarão. Até mesmo eles foram dados a você por Deus. Se você praticar todos os ideais em sua vida, eles o observarão e o seguirão. Você acha que sua esposa é incapaz de entender, então tenta fugir dela. Primeiro, satisfaça sua família; se sua casa não está em ordem, como pode falar sobre Deus a outras pessoas? Na transformação, você vem em primeiro lugar, a família em segundo, a sociedade em terceiro, a nação em quarto e o mundo em quinto.

Primeiro, deve haver mudança em si mesmo, então haverá mudança na família. Vocês servem muito lá fora, mas quando voltam para casa, não lavam nem sua própria xícara de café! Assim, o que sua esposa pensa? Ela acha que seu pensamento, palavra e ação são inconsistentes. Esse não é o ideal certo para você estabelecer. Primeiro, viva o ideal em sua própria casa e sua esposa aprenderá. Pode levar algum tempo, mas finalmente todos ficarão felizes.

Façam o que gosto. O que é isso? Sua transformação é o que gosto. Não se trata de falar; têm que fazer, mostrar e demonstrar e continuar praticando. Quando fizer isso, sua esposa, filhos e pais aprenderão com você – não com suas palavras, mas com suas ações. O caminho que percorre deve ensinar; somente então sua esposa mudará e se tornará uma dharmapatni.

O casamento é uma corrida de três pernas (com dois corredores, onde um tem uma perna amarrada à perna do outro). Se ela for devagar, você também precisará ir devagar e ensiná-la como correr. Precisam se mover em uma só direção. Se forem em direções diferentes, cairão. Se quiser mudá-la, primeiro mude a si mesmo.

Como podem ver, é impossível fazer todo mundo feliz. Façam-Me feliz; façam o que digo, sigam o que faço. Então, outras pessoas olharão para vocês e aprenderão. Reservem um dia na semana para participar em serviço. Vocês passam todos os dias fazendo tudo pela sua família. Decoram e limpam sua casa. Aos domingos, reúnam a todos para servirem com grande entusiasmo.

Similarmente, devem servir nesse estado de espírito todos os dias; se trabalham como médico em um hospital, saibam que todo paciente é Deus e tratar deles não é emprego, mas serviço. Então, essa oferta de serviço também alcança Deus.

Quando todos vocês se reunirem de vez em quando e prestarem serviço, haverá grandes mudanças. Se querem servir, há muitas coisas que podem fazer. Se estão com muita fome, ficam em silêncio? Se não há comida em casa, não permanecem com fome, mas vão a um restaurante e comem. Da mesma forma, se desejam servir, não se sentam simplesmente; vão a algum lugar para serem úteis. As oportunidades virão por si mesmas. Apenas decidam-se e estejam prontos, e definitivamente obterão oportunidades.

Pergunta: Swami, existem sempre divisões e graus de luz e escuridão no mundo – mas, tendo estado perto do Senhor, todos nós somos símbolos do que o Senhor é. Nos daria Suas bênçãos para que tudo se torne perfeito? Damos ao Senhor a nossa garantia Swami, de que cuidaremos disso. (Aplausos)

Swami: Agora que é hora do jantar, você pode comer por todos? (Risos) Não é possível. Todos têm que comer por si mesmos. É bom que tenha dito o que disse – ore por isso; todo mundo tem que orar, então tudo ficará bem.

Vou lhes contar um segredo, mas não contem às pessoas fora dessa sala, pois entenderiam mal. Estou fazendo tudo isso por causa de Prema Sai. O terceiro Avatar está chegando. Antes que venha, estou preparando tudo para Ele; estou fazendo todo o dever de casa. Vocês também precisam fazer o seu. ‘Prema Sai’ inclui a palavra ‘prema’, que significa amor divino. Se querem entender o amor Dele, primeiro precisam ter amor em seu coração. Uma barra de ferro coberta de poeira e ferrugem não terá atração magnética. Vocês têm que remover a ferrugem e a poeira – o ‘eu’ e o ‘meu’ – somente assim serão capazes de entender Prema Sai quando Ele vier. Sou um professor muito complacente; dou muitos pontos de graça para passarem. Prema Sai não será assim; trabalhará em silêncio, não conversará muito. Se quiserem entender o Seu silêncio, primeiro devem entender as Minhas palavras. Digo a todos: Ele não falará, mas ensinará no nível da universidade, onde vocês têm que aprender suas próprias lições e o professor só vem de vez em quando tirar suas dúvidas – mas Ele não dará aulas todos os dias, será um auto estudo. Estou os preparando para isso.

Em um rebanho de vacas, um bezerro vai apenas para sua mãe. As formigas irão para onde houver açúcar; ninguém precisa dizer a elas onde ele está e ninguém precisa dizer a um bezerro onde está sua mãe; eles vão instintivamente. Verdadeiros devotos irão a Deus por conta própria, espontaneamente, sem a necessidade de alguém lhes contar. Quando desenvolverem a verdadeira devoção, certamente virão a Mim. Ferro com poeira e ferrugem não resulta em nenhum magnetismo. Enquanto estão no mundo e pensando nele, vocês coletam a ferrugem e a poeira dos desejos então, mesmo quando Deus vier até vocês, não serão atraídos.

Vocês não podem dizer que não há um ímã. Os devotos dizem: “Sou um bom devoto, então sei que Ele não é Deus, pois não estou recebendo Seu amor”. No entanto, se olharem para dentro, verão que há muita ferrugem e poeira. Quando abandonarem a ferrugem e a poeira, entenderão Deus. Estou fazendo isso com todos vocês. Se não estiverem prontos, ficarão para trás. Pratiquem agora, para que possam ganhar a corrida. Disse isso apenas uma ou duas vezes nos últimos três anos, mas agora estou começando a dizer mais: estejam prontos!

Os tempos vindouros serão realmente incríveis. Vocês não podem imaginar o tipo de coisas que estão por vir. Se querem participar, estejam prontos para a admissão. Estudem para a prova de admissão; se falharem no exame, como se juntarão à turma? Não estou preocupado com quantidade – quero qualidade; amor puro e desinteressado, não amor impuro – é o que estou constantemente dizendo. Desenvolvam esse amor altruísta e compartilhem-no com os outros.

Quando estiverem prontos, lhes falarei sobre oportunidades de serviço. O que quer que Eu tenha lhes ensinado, façam sua lição de casa e continuem a praticar para que entendam. Então perguntem sobre dúvidas reais; todas essas são dúvidas artificiais. Sal e açúcar são parecidos; só sabem a diferença quando experimentam. Um corvo e um cuco são parecidos, mas somente quando cantam, vocês sabem a verdade. Quando fizerem o que digo, conhecerão a verdade. Pratiquem e voltem novamente.

Muito feliz.

Novembro 2022




Pergunta: 
Como podemos ser constantemente gratos ao Senhor?

Swami: Como vocês desenvolvem a gratidão? Quando pensam que não merecem algo, mas recebem, a gratidão é sentida. Se vocês acham que merecem algo porque conquistaram por meio de seus próprios esforços, não desenvolvem a gratidão; vocês desenvolvem atitude. Se acham que receberam mais do que merecem, mais do que vem do esforço que vocês fizeram, ou seja, vocês receberam mais do que pediram ‒ essa é a graça de Deus.

Muitos alunos fazem suas provas e oram por ‘notas de benção’; essas notas trazem gratidão. Se obtiverem notas apenas pelo que escreveram, haverá apenas atitude, não gratidão. É quando eles recebem mais do que merecem que vem a gratidão. Portanto, vocês devem se esforçar ao máximo em seus estudos; então orem a Deus, oferecendo-Lhe todo o seu esforço. Quaisquer que sejam as notas resultantes, vocês sentirão gratidão.

Conscientes ou não, outras pessoas ajudam vocês a serem o que são hoje. Alguns podem vir sentar-se em paz, porque há gente em casa cuidando das coisas; seja o leiteiro, a serva, o vigia ou qualquer outra pessoa que cuide de seus assuntos. Todos eles ajudam vocês de alguma forma. O homem não pode viver sozinho; ele vive em uma comunidade. Consciente ou não, ele é ajudado por muitas pessoas. Portanto, a gratidão é muito importante.

Quando Meu pai, Pedda Venkama Raju, estava para falecer, ele sabia que sua hora estava chegando. Ele era uma alma tão nobre que sabia que Eu o chamaria para estar Comigo. Um dia ele chegou com sacos cheios de arroz, coco, óleo e tantos outros itens e os deixou no pórtico do mandir.

Eu lhe perguntei: “Por que você está trazendo tudo isso?”

Ele disse: “Eu sei, Swami, que mais cedo ou mais tarde vou partir. Aqui estão alguns alimentos, alguns cocos e outros itens, os quais Você deve usar para alimentar os pobres e necessitados quando eu morrer. Muitas pessoas me ajudaram, consciente ou inconscientemente. Não fui capaz de retribuir tudo o que fizeram por mim ou de lhes expressar minha gratidão. Depois que eu morrer, oro para que as alimente, porque Você é o único que reside em todos. Se alguém for alimentado, chegará a Você. Posso, assim, pagar minha dívida para com a comunidade”.

Além disso, ele pegou um pequeno saco de moedas e disse: “Swami, quando meu cortejo fúnebre estiver ocorrendo, por favor, jogue essas moedas de cada lado, para que cheguem àqueles que precisam. Muitos podem ter me emprestado dinheiro e eu posso ter esquecido de devolver todo o valor que pedi emprestado. Desta forma, quero retribuir a quem precisa e talvez, de alguma forma, consiga saldar minha dívida”. Era essa gratidão que ele sentia pela comunidade que o ajudou.

Em primeiro lugar, expressem sua gratidão a Deus, que lhes deu tudo, inclusive a vida. Vocês causam sua própria respiração? Não, a respiração acontece por conta própria. Vocês causam sua própria digestão? Não, isso acontece por conta própria. Vocês fazem seu coração bater? Não, isso também acontece por si só. Tantas coisas dentro do seu corpo acontecem por si mesmas, sem as quais vocês não poderiam ter se tornado médicos, engenheiros, professores ou músicos. Vocês são capazes de fazer o que estão fazendo hoje porque todas essas coisas acontecem. Um dia, se o seu coração parar de bater e pensar: ‘Deixe-me tirar férias’, vocês não voltarão mais! Um dia, se o seu estômago parar de digerir, podem imaginar o perigo que isso representaria para vocês e para as pessoas ao seu redor? (Risos)

Vocês nunca devem se esquecer de que Deus está fazendo tudo isso, dentro de vocês. Deus lhes dá ar para respirar, água para beber, luz para ver, som para ouvir e comida para comer; tudo é dado por Deus. Vocês podem ser um grande músico, mas não inventaram a música. Os swaras (notas da escala musical) sempre estiveram lá. Vocês podem ser um grande pintor, mas não criaram as cores; elas sempre estiveram lá. Vocês podem ser um grande engenheiro, mas não criaram a terra, a água ou o ar que usam para construir seus edifícios. Vocês podem ser um grande fazendeiro, mas não criaram as
sementes para o cultivo. Vocês podem ser pai ou mãe; podem ter dado à luz um bebê, mas não podem dar-lhe a vida. Vocês podem ser um cirurgião operando doenças complicadas, mas não criaram o próprio corpo.

Se pensarem profundamente, perceberão que tudo o que são hoje é porque Deus lhes deu muitas oportunidades para usarem no mundo. Se não houvesse notas, alguém poderia ser músico? Se não houvesse cores, alguém poderia ser pintor? Se não houvesse sementes, terra ou água, alguém poderia ser agricultor? Se não houvesse doença, alguém poderia ser médico? Se não houvesse conhecimento, alguém poderia ser professor? Tudo isso foi criado por Deus e, se vocês se lembrarem disso constantemente, desenvolverão a gratidão. A gratidão os tornará humildes; isso os tornará queridos por todos ao seu redor.)

DISCURSO DE 19 DE MAIO DE 2015, EM KODAIKANAL (Tarde)

Outubro 2022




Pergunta: 
Como podemos ser constantemente gratos ao Senhor?

Swami: Como vocês desenvolvem a gratidão? Quando pensam que não merecem algo, mas recebem, a gratidão é sentida. Se vocês acham que merecem algo porque conquistaram por meio de seus próprios esforços, não desenvolvem a gratidão; vocês desenvolvem atitude. Se acham que receberam mais do que merecem, mais do que vem do esforço que vocês fizeram, ou seja, vocês receberam mais do que pediram ‒ essa é a graça de Deus.

Muitos alunos fazem suas provas e oram por ‘notas de benção’; essas notas trazem gratidão. Se obtiverem notas apenas pelo que escreveram, haverá apenas atitude, não gratidão. É quando eles recebem mais do que merecem que vem a gratidão. Portanto, vocês devem se esforçar ao máximo em seus estudos; então orem a Deus, oferecendo-Lhe todo o seu esforço. Quaisquer que sejam as notas resultantes, vocês sentirão gratidão.

Conscientes ou não, outras pessoas ajudam vocês a serem o que são hoje. Alguns podem vir sentar-se em paz, porque há gente em casa cuidando das coisas; seja o leiteiro, a serva, o vigia ou qualquer outra pessoa que cuide de seus assuntos. Todos eles ajudam vocês de alguma forma. O homem não pode viver sozinho; ele vive em uma comunidade. Consciente ou não, ele é ajudado por muitas pessoas. Portanto, a gratidão é muito importante.

Quando Meu pai, Pedda Venkama Raju, estava para falecer, ele sabia que sua hora estava chegando. Ele era uma alma tão nobre que sabia que Eu o chamaria para estar Comigo. Um dia ele chegou com sacos cheios de arroz, coco, óleo e tantos outros itens e os deixou no pórtico do mandir.

Eu lhe perguntei: “Por que você está trazendo tudo isso?”

Ele disse: “Eu sei, Swami, que mais cedo ou mais tarde vou partir. Aqui estão alguns alimentos, alguns cocos e outros itens, os quais Você deve usar para alimentar os pobres e necessitados quando eu morrer. Muitas pessoas me ajudaram, consciente ou inconscientemente. Não fui capaz de retribuir tudo o que fizeram por mim ou de lhes expressar minha gratidão. Depois que eu morrer, oro para que as alimente, porque Você é o único que reside em todos. Se alguém for alimentado, chegará a Você. Posso, assim, pagar minha dívida para com a comunidade”.

Além disso, ele pegou um pequeno saco de moedas e disse: “Swami, quando meu cortejo fúnebre estiver ocorrendo, por favor, jogue essas moedas de cada lado, para que cheguem àqueles que precisam. Muitos podem ter me emprestado dinheiro e eu posso ter esquecido de devolver todo o valor que pedi emprestado. Desta forma, quero retribuir a quem precisa e talvez, de alguma forma, consiga saldar minha dívida”. Era essa gratidão que ele sentia pela comunidade que o ajudou.

Em primeiro lugar, expressem sua gratidão a Deus, que lhes deu tudo, inclusive a vida. Vocês causam sua própria respiração? Não, a respiração acontece por conta própria. Vocês causam sua própria digestão? Não, isso acontece por conta própria. Vocês fazem seu coração bater? Não, isso também acontece por si só. Tantas coisas dentro do seu corpo acontecem por si mesmas, sem as quais vocês não poderiam ter se tornado médicos, engenheiros, professores ou músicos. Vocês são capazes de fazer o que estão fazendo hoje porque todas essas coisas acontecem. Um dia, se o seu coração parar de bater e pensar: ‘Deixe-me tirar férias’, vocês não voltarão mais! Um dia, se o seu estômago parar de digerir, podem imaginar o perigo que isso representaria para vocês e para as pessoas ao seu redor? (Risos)

Vocês nunca devem se esquecer de que Deus está fazendo tudo isso, dentro de vocês. Deus lhes dá ar para respirar, água para beber, luz para ver, som para ouvir e comida para comer; tudo é dado por Deus. Vocês podem ser um grande músico, mas não inventaram a música. Os swaras (notas da escala musical) sempre estiveram lá. Vocês podem ser um grande pintor, mas não criaram as cores; elas sempre estiveram lá. Vocês podem ser um grande engenheiro, mas não criaram a terra, a água ou o ar que usam para construir seus edifícios. Vocês podem ser um grande fazendeiro, mas não criaram as sementes para o cultivo. Vocês podem ser pai ou mãe; podem ter dado à luz um bebê, mas não podem dar-lhe a vida. Vocês podem ser um cirurgião operando doenças complicadas, mas não criaram o próprio corpo.

Se pensarem profundamente, perceberão que tudo o que são hoje é porque Deus lhes deu muitas oportunidades para usarem no mundo. Se não houvesse notas, alguém poderia ser músico? Se não houvesse cores, alguém poderia ser pintor? Se não houvesse sementes, terra ou água, alguém poderia ser agricultor? Se não houvesse doença, alguém poderia ser médico? Se não houvesse conhecimento, alguém poderia ser professor? Tudo isso foi criado por Deus e, se vocês se lembrarem disso constantemente, desenvolverão a gratidão. A gratidão os tornará humildes; isso os tornará queridos por todos ao seu redor..

Pergunta: Quando nascemos, prometemos aprender a ter compaixão, amor e serviço neste mundo. Porém, depois de nascermos, nos esquecemos disso e apenas brigamos entre nós mesmos, nos apossando da propriedade de outros e tentando prejudicá-los. Por que, Swami, esquecemos nosso acordo quando nascemos neste mundo? Além disso, qual é a mensagem de Swami para a fraternidade política?

Swami: Ambas as perguntas têm a mesma resposta. Antes das eleições, vocês fazem acordos com o público de que farão isso ou aquilo, que os farão felizes e os sustentarão. Depois de chegar ao poder, vocês tendem a esquecer todas as promessas que fizeram. Por que isso acontece? É devido ao egoísmo. Enquanto vocês forem egoístas e se identificarem com o corpo que lhes foi dado, vocês nunca serão capazes de cumprir o acordo.

punarapi jananam punarapi maranam punarapi janani jathare shayanam
(Ó Senhor! Estou sofrendo imensamente no ciclo de nascimento e morte, sendo confinado repetidamente a viver no ventre da mãe.)

A única maneira de sair do ciclo é esquecer que vocês são o corpo e lembrar que são divinos.

Durante o darshan, muitos pais imploram para que Eu permita que seus filhos sejam admitidos na Minha escola. A criança também ora e, com compaixão, concedo-lhes a admissão. Depois que elas entram na sala de aula, na metade do tempo, seus olhos estão voltados para o campo de futebol, e não para a sala de aula. Distrações existem no mundo. Quando vocês param de prestar atenção no propósito para o qual vieram aqui e começam a prestar atenção às outras distrações, vocês perdem o caminho. Vocês se perdem e esquecem o que vieram buscar. Às vezes, um aluno está envolvido com o futebol o tempo todo; não só quando ele está no campo, mas até na aula. Apesar de estar fisicamente na aula, sua mente está sempre no campo de futebol e ele acaba até chutando a pessoa ao lado, uma ou duas vezes, porque sua mente está sempre ocupada jogando! (Risos)

A natureza da mente é ir para fora; quer correr para fora, não olhar para dentro. O homem foi capaz de alcançar até a lua, mas não foi capaz de progredir, nem um centímetro, na jornada interior ‒ essa é a natureza da mente. Treinar a mente é a única maneira de se lembrar da promessa e encerrar o ciclo de nascimentos e mortes. A mente foi dada como uma ferramenta para cumprir o propósito para o qual vocês nasceram. É por meio da mente que alguém pode alcançar a Deus ou se enredar no mundo. Estar constantemente na companhia dos bons os ajudará a treinar a mente e se lembrar de para que vocês estão aqui.

A companhia de Deus é a única boa companhia.

satsangatve nissangatvam nissangatve nirmohatvam nirmohatve nishchalatattvam nishchalatattve jeevanmuktih
(A boa companhia leva ao desapego; o desapego leva à libertação da ilusão; a liberdade da ilusão leva à firmeza; a firmeza confere libertação.)

Por isso, é muito importante estar na companhia de gente boa, desde o nascimento. Digam-Me com quem andam e Eu lhes direi quem são. Como políticos, mesmo que vocês sejam bons no que fazem, isso por si só não os ajudará. Vocês têm que trabalhar com muitas outras pessoas, para que elas os ajudem a fazer seu trabalho, e elas também precisam ser boas. Portanto, é muito importante manter a companhia de pessoas boas, de princípios elevados e trabalhar com elas. Estejam vocês na política ou em qualquer outro trabalho, se não tiverem a companhia das pessoas certas, não serão capazes de alcançar o seu propósito de vida. Lentamente, elas mudarão vocês e vocês se tornarão como elas. Para se apegarem aos seus próprios valores e princípios, é preciso muita determinação, perseverança e prática. Deve-se constantemente se lembrar da meta.

Desde o momento em que uma criança nasce, ela chora, porque se lembra de que pousou novamente no mesmo mundo do qual queria escapar no último nascimento, mas é por causa do apego que ela renasce. Embora o corpo morra, a mente continua a viver e encontra outro corpo para continuar sua jornada. No entanto, o corpo está constantemente dizendo à sua mente: ‘Soham, Soham, Soham’ ‒ Eu sou Aquele, através da respiração. Se vocês sempre ouvirem a respiração e a verdade que ela lhes diz, poderão chegar ao seu destino e não esquecerão porque nasceram. Mantenham boa companhia; só a boa companhia pode levá-los à libertação.

Pergunta: Swami, qual é a melhor oração que podemos oferecer sempre ao Senhor?

Swami: A melhor oração é: “Faça-me como o Senhor”. Esta é a oração do nosso Tigrett, porque esse é o propósito.

Brahmavid brahmaiva bhavati- aquele que conhece Brahman verdadeiramente se torna Brahman.

Vocês devem orar para que Eu faça todos vocês gostarem de Mim. Como um escultor, estou pronto para esculpi-los numa estátua divina, mas, para fazer isso, preciso remover tudo o que não é divino. A estátua não entra na pedra vinda de outro lugar; ela já está escondida dentro da pedra. Portanto, devo remover tudo o que não é divino e jogar fora, então, o que resta é divino.

Vocês têm um coração, uma mente e um corpo. O corpo e a mente não são Eu, Eu sou só o coração. Quando tento remover o apego ao corpo ou à mente, é como remover as partes desnecessárias da pedra, que não constituem a estátua. Quando martelo vocês, quebro e estilhaço, vocês clamam: “Basta, Swami! Eu não quero assumir essa dor!” Como diz o ditado: “Sem dor, sem ganho”. Vocês têm que abandonar o que não sou Eu em vocês, de modo que o que reste no final do processo seja Deus. Isso não é autoconquista; isso é autorrealização. A autorrealização é alcançar algo que não existe, como a realização em um exame, a realização nos esportes, a realização na música. A autorrealização é apenas saber o que vocês já são, e desistir de tudo o que não são.

Estejam prontos, estejam dispostos a se oferecer como um pedaço de pedra a Mim. Como escultor, vou desbastar tudo o que não são vocês. Qualquer dor que vocês sentem também é imaginária, porque imaginam que são o corpo e então sentem dor física; ou vocês imaginam que são a mente e, portanto, sentem dor mental. Se se lembrarem de que são apenas o coração, ficarão felizes em se livrar de tudo o que não é vocês.

Suponham que vocês saiam e caiam em uma grande vala lamacenta. Vocês sabem que toda a lama que gruda em vocês não é sua pele. O que vocês fazem? Imediatamente, querem lavá-la, porque isso não faz parte de vocês. Da mesma forma, uma vez que sabem que não são o corpo ou a mente, imediatamente desejam se livrar de tudo isso. Eu os ajudarei a lavá-los, com o sabão do amor e a água do serviço. Com isso, Eu os trarei de volta ao que vocês realmente são e removerei todo o ego e apegos que os tornam impuros. Estejam 100% dispostos a se oferecerem a Mim e Me deixem fazer o Meu trabalho, assim vocês definitivamente serão capazes de se tornar Eu.

Devoto: Bhagawan, mal posso acreditar que, dentre milhões e milhões de pessoas no mundo, o Senhor nos deixou vir aqui para estar com o Senhor. Agradeço muito, Swami. Salvou nossa vida, repetidas vezes. Por favor, ajude-nos a cair a Seus pés e nos segurar no Senhor. Dê-nos a força para nunca deixá-Lo ir, nunca.

Swami: Muito feliz. Se vocês puderam vir desfrutar deste satsang e se sentir melhor do que antes, isso é suficiente para Mim. Não posso garantir que vocês se mantenham em Mim; só posso garantir que Eu Me agarrarei a vocês. (Aplausos)


CURSO DE 19 DE MAIO DE 2015, EM KODAIKANAL (Tarde)
(Esta foi a sessão final da viagem de Kodaikanal com Bhagawan Baba, em 2015. O coração dos devotos estava pesado com a ideia de ter que deixar a atmosfera divina e jovial, mas eles puderam se consolar com as palavras doces e tranquilizadoras do Senhor, de que Ele os traria de volta no próximo ano, para experimentar Sua bem-aventurança abundante e paz perene!).

Setembro 2022



Pergunta: Swami, o Senhor sempre diz que quando fazemos uma escolha entre um pensamento da mente e a inspiração do coração, devemos seguir o coração. Por exemplo, tenho uma caneta que aprecio muito porque me foi dada pelo Senhor. Se um dos meus irmãos pedir, imediatamente a mente dirá: “Não, não dê, porque foi dada por Swami”, enquanto o coração dirá: “Ele é seu irmão, dê”. Uma vez, fiz o coração vencer a mente e dei minha caneta a alguém que pediu, mas imediatamente depois, a mente começou com outra estratégia, dizendo: “Já que você deu a caneta a ele, você deve esperar uma palavra de agradecimento ou algo assim da parte dele”. Swami, como podemos superar as estratégias da mente e nos tornarmos mais altruístas?

Swami: Ontem dei um exemplo que se relaciona com esse problema: se a comida do prato chegar à boca, não será por conta própria. As mãos devem misturar a comida, colocá-la na boca, a boca deve mastigar e mandar para o estômago. O estômago então digere a comida e envia a energia para todas as partes do corpo.

A mão nunca pode pensar que está alimentando a boca e lhe fazendo um favor; está fazendo um favor a si mesma, porque é somente por meio da energia da digestão que a mão pode operar. Se a boca pensa que está fazendo um favor ao estômago, isso também é errado, porque somente se a comida for para o estômago, a boca pode funcionar. Se o estômago pensa que está fazendo um favor à boca, isso também é errado, porque só se o estômago digerir a comida é que ele pode permanecer saudável. Da mesma forma, enquanto vocês pensarem: “Isto é meu e aquilo é de outra pessoa”, vocês nunca serão capazes de superar tais sentimentos. Você está pensando que a caneta foi dada por Mim. Por que não pensar que o irmão também foi dado por Mim? Você deve entender que todos são Um, então, onde está a questão de ‘eu’ dar a alguém? Você está entregando para seu próprio Eu, seu próprio reflexo. Portanto, a coisa mais importante é não permitir uma escolha entre o coração e a mente. Só existe uma escolha ‒ a do coração. A confusão começa quando vocês pensam que existe uma escolha entre a mente e o coração. Não deem nenhuma escolha à mente; permitam que apenas o coração escolha.

Narasimha Murthy dá aos alunos uma escolha no albergue. Qual é a escolha? “Ou vocês seguem as regras do albergue ou vão embora”. (Risos) Existe alguma outra escolha? Vocês conseguem seguir as regras 25%, 50% ou 75% do tempo? Não, ou vocês seguem todas as regras o tempo todo, ou então devem deixar o albergue. Da mesma forma, ou vocês seguem o coração ou não fazem nada. Tudo deve ser feito de coração.

O coração é a sede de Deus. A mente está continuamente tentando obstruir o fluxo espiritual do coração. A mente é egoísta, enquanto o coração é amor. O amor vive dando e perdoando; o egoísmo vive recebendo e esquecendo. Não pensem que a mente tem escolha; ela não deveria ter. Apenas sigam o coração e evitem a mente. Quando a mente se meter em algo,vocês devem dizer: “Quem é você para me aconselhar? Você não é ninguém, saia deste albergue”.

Portanto, sigam apenas o coração. Somente quando vocês pensam: “Eles são diferentes, eu sou diferente” e “Isto é de Swami, aquilo não é de Swami”, que a diferenciação começa. Afinal, a caneta é um objeto inerte. Se uma caneta se for, outra caneta virá, mas se este irmão se for, vocês conseguirão outro como ele? Tratem a todos como se fossem seus, com amor, então a mente nunca entrará em cena.

Pergunta: Querido Senhor, o Senhor declarou que, por meio da Criação, separou-Se de Si mesmo para amar a Si mesmo. Não teria sido mais fácil se, a cada nascimento, todos tivessem memória de que são divinos, em vez de o Senhor precisar descer e nos lembrar? Então a Criação teria sido sempre feliz, tanto os atores quanto o Diretor. (Risos)?

Swami: Ele está tentando Me aconselhar sobre como devo administrar Minha Criação! (Risos e aplausos). Em um nível muito básico, a Criação acontece quando Eu Me separo de Mim mesmo, de tal forma que o jiva (alma individual) se esquece que é Meu próprio ser. Quando isso acontece, surge um drama. Então encarnarei para servir como um lembrete da verdadeira natureza do seu ser. No entanto, no nível mais alto, este mundo nem existe; não há Criação, é apenas uma projeção da mente, da mesma maneira que vocês experimentam as coisas em um sonho. Vocês podem aconselhar a si mesmos: “Não sonhe” ou “Deixe o sonho não ser desta ou daquela maneira”? Não é possível.

Na verdade, ninguém se esqueceu que é divino, todo mundo se lembra. A prova disso é que o homem se esforça continuamente para ser feliz. Desde o momento em que uma criança nasce, ela deseja a felicidade. Ela pensa que comida trará felicidade, brinquedos trarão felicidade, livros trarão felicidade, amigos e notas altas trarão felicidade. Quando a criança atinge a idade adulta, ela acha que um bom trabalho trará felicidade, a família trará felicidade, e ela continua em busca da felicidade até que percebe que nenhuma dessas coisas é permanente. Somente o amor puro é permanente e traz a verdadeira felicidade. Felicidade é união com Deus. Assim, ela finalmente retorna para Deus.

Por que vocês assistem a um filme ou drama? É porque gostam de se divertir. Se no drama tudo provocar continuamente o mesmo sentimento bom, sem emoções diferentes, será muito enfadonho. Toda a Criação é apenas para o prazer de Deus; deve, portanto, ser aceita com o espírito correto. Dor ou tristeza não existem de verdade, pois são fenômenos temporários. É o mesmo com alegria e felicidade. Só percebendo a verdadeira natureza de alguém é que a pessoa finalmente se torna feliz.

É tudo lila, tudo jogo de Deus. Vejam como a peça é linda! A variedade de flores, de frutas, de pessoas, de culturas, de músicas, de línguas, que lindo universo Deus criou! Vendo isso, se vocês apreciarem a variedade e virem o reflexo de Deus em tudo, então sua vida será feliz. Vivencio tudo através de cada um de vocês e gosto da experiência. Vocês ficariam felizes se todos os dias em Kodaikanal Eu servisse apenas arroz de coalhada? Vocês podem dizer a Gopi: “Por que você prepara tantos pratos que dão muito trabalho? Dê-nos apenas arroz de coalhada para as nossas refeições. Isso encheria o estômago”, mas não é verdade. A variedade na Criação é o reflexo da inteligência de Deus, do poder de Deus, da beleza de Deus. Ver e desfrutar de toda a variedade da Criação de Deus é o mais importante. Às vezes, no entanto, vocês esquecem por que estão aqui e pegam o caminho errado. Quando isso acontece, adoro ser Pai e corrigir Meus filhos.

Muitos pais e mães estão presentes. Quando seus filhos são pequenos, os pais os ajudam a escovar os dentes, dão banho, ajudam a caminhar, ajudam com os deveres de casa e assim por diante, e os pais sentem grande alegria em todas essas atividades. Seria errado perguntar aos pais: “Por que vocês querem ter filhos? É um difícil desafio criá-los!” Se essa filosofia tivesse sido seguida, você não estaria aqui em Kodaikanal aproveitando esta sessão!

Um jovem estudante que falava anteriormente disse que estava muito feliz por estar em Kodaikanal, aproveitando cada momento. Se não houvesse Criação, aquela criança não estaria aqui hoje. Quando aquela criança crescer, se achar que não precisa do conselho do pai e disser: “Não preciso da sua ajuda, farei as coisas por mim mesmo”, o pai ficará muito chateado, porque adora ajudar o filho. Da mesma forma, adoro vir de novo e de novo para estar com Meus filhos e Me sinto feliz com isso. Vocês saem nos feriados para encontrar seus pais, ou às vezes seus pais vêm aqui para encontrá-los. Também gosto de vir e encontrar todos vocês e estar entre vocês. Me dá uma grande alegria ver todos aqui em Kodaikanal.

Tudo o que vocês veem é para o prazer de Deus. Quando isso for compreendido, não haverá dúvidas sobre a Sua Criação. Não é nenhum esforço para Mim. Vocês podem pensar que é um esforço para a mãe criar seu filho, cozinhar para ele, dar banho, mantê-lo limpo e saudável. Shrama (esforço) só vem quando não há prema (amor). Por outro lado, onde há prema, não há shrama. Para guiar os devotos ao longo do caminho certo, dar a eles o que precisam, corrigi-los quando erram e protegê-los, isso é prema para Mim e gosto disso, então continuo criando novamente e novamente e novamente. Não tentem tirar de Mim a Minha alegria! (Risos e aplausos).

Sri Sathya Sai Uvacha Volume 10 - DISCURSO DE 13 DE MAIO DE 2015, EM KODAIKANAL.

Agosto 2022

Pergunta: Muitos jovens estão ligados a Sri Sathya Sai Baba. Ela disse que Ele está em todos nós. Onde é que Ele está exatamente agora? Poderia explicar, por favor?

Swami: Bhagawan Sri Sathya Sai Baba é manifestação divina. Se eu fechar os olhos e pensar Nele, ainda posso vê-lo aqui, mas Ele escolheu não falar. Ele apenas observa e pede-me para seguir em frente e fazer o que tem de ser feito. Então, até hoje, não sei para onde vão minhas mãos, meus movimentos, meus discursos ou meus pensamentos. Mas eu sei claramente que é um pouco diferente do que costumava ser. Sei que pude sentir claramente a Sua energia, os Seus caminhos, os Seus métodos, as Suas ações através de mim. Agora vejo claramente que não é Bhagawan Sri Sathya Sai Baba como forma a trabalhar através de mim. É uma entidade neutra, a Divindade, que está atuando. Sempre que há uma necessidade de Bhagawan Sri Sathya Sai Baba, Ele está sempre lá, Sua presença está sempre lá. Porque a própria divindade assume essa forma muito rapidamente e retorna para você. Rezo para Krishna e vejo Krishna. Mas isso não significa que Krishna esteja sempre a trabalhar através de mim. A Divindade está sempre lá, seja qual for a forma que desejamos adorá-la, ela manifesta-se.

Considerando Bhagawan Sri Sathya Sai Baba como uma pessoa com uma forma, para um lugar, é uma compreensão muito limitada da Sua verdade. Mas aqueles que se apegam à forma de Bhagawan Sri Sathya Sai Baba e rezam a essa forma, Ele manifestar-se-á a eles dessa forma. Ainda hoje, aqueles que rezam à Shirdi Baba podem visualizar ou ver Shirdi Baba a chegar a eles dessa forma. Ele não os confundirá com outro nome e outra forma, porque Ele quer conduzir-los para o caminho espiritual que os atrai. Para outra pessoa vai aparecer como Jesus, Krishna, Rama, mas é a mesma consciência divina - não devemos esquecer isto. Infelizmente muitas pessoas se apegam tanto a um nome que se torna uma forma de alimentar o fanatismo: "É esta forma que é Deus e nada mais, tudo o resto é falso" - não podemos permitir este tipo de abordagem. Devemos ser ousados, não ser míopes , devemos sempre ser gratos à Divindade por assumir uma forma, um nome e uma forma, e por estarmos confinados a uma identidade individual para guiar as pessoas pelo caminho sagrado, sem o qual estaríamos com o coração partido. Mas ele também tinha um propósito maior a ensinar: mesmo uma pessoa comum disposta a desistir de todo o seu egoísmo pode alcançar alturas extraordinárias - essa é a maior lição.

A descida do Divino é a lição que ele ensinou com o primeiro avatar. A ascensão do homem a este navio (referindo-se a Sadguru) é a maior lição. Isto é o que todos precisamos de aprender - e a nossa verdadeira homenagem será esta. Não faz sentido falar, "sou devoto" e ficar falando sobre o que Ele fez, como Ele fez e quando fez. Falando assim, nada se acrescenta à Sua glória, nada se tira da Sua glória: nada acontece! Mas o que acontece com você, você tem que se fazer essa pergunta. A glória dele é glorificada na tua glória. Ele é glorificado quando percebes a tua divindade e percorres este caminho. Então, se você ainda está apegado a um formulário e nome e quer servir a forma e o nome, faça o que Ele disse - é tudo o que estou tentando dizer. Sua Divindade está aí com você. Bênçãos estão em abundância lá fora. Eventualmente, todos devem caminhar nesta caminhada. É como quando alguém perde os pais e perde a orientação dos pais: eles têm que continuar a trilhar o caminho traçado pelos pais lembrando das palavras dos pais.

Do ‘Diálogo com o Divino’ - Sessão de Q&A de Sadguru Sri Madhusudan Sai com os jovens em Singapura, abril de 2022.


Julho 2022

Pergunta: Swami, é mencionado nó Kathopanishad que se um membro da família se tornar jñāni (conhecedor da verdade)outros podem alcançá-lo. Mas se todos nascemos na mesma família, não estamos ligados através do karma? Se sim, como vamos conseguir alcançar isso juntos?

Swami: Sim, membros da família podem ser conectados através do karma. Por causa de algum desejo passado, algumas expectativas não realizadas, nascemos numa determinada família e tornamo-nos membros dessa família. É assim que a lei funciona. Mas quando alguém alcança jñāna ( o conhecimento da verdade) naquela família, ele inspira outros a seguir esse caminho.

É possível que o karma de outros membros da família não permita que eles se tornem jñānis imediatamente. Uma mãe pode dar à luz quatro filhos - um pode virar médico, um engenheiro, um advogado e um deles vagabundo - é possível. Mas o karma juntou-os. Mas, além do coletivo, eles também têm seus karmas individuais que também os levam no seu caminho. Então os teus karmas espirituais levar-te-iam pelo caminho Divino, enquanto eles poderiam ter alguns karmas mais mundanos para lidar ainda. Mas a sua presença na família certamente os encorajará a seguir por esse caminho. Eles podem não alcançar a auto-realização no mesmo dia que tu ou no mesmo nascimento que tu. Mas certamente os ajudarias a trilhar este caminho. É por isso que nossas escrituras dizem que nem um pouco de esforço que você faz nesta jornada nunca é em vão. Nunca é destruído ou faz qualquer efeito negativo. Então, um jñanī nascido em uma família ou uma pessoa que se torna um jñ āān ī na família vai sempre deixar uma inspiração para os outros. Outros membros da família podem, mas não precisam, ser capazes de superar os seus karmas passados tão rápido quanto
você—mas com o tempo eles beneficiarão de conviver com você também.

Buda deixou sua família - uma esposa e um filho. Anos mais tarde, quando Gautama se tornou Buda, a sua esposa já tinha superado toda a raiva e frustração que ela tinha com ele - porque ele a deixou a meio da noite com um bebê que ela teve que cuidar. Anos depois, ela entendeu a vida de Buda e como ele tinha ajudado tantas pessoas. Agora ela sentiu adoração - admiração, não raiva! Quando Buda regressou depois de uma longa viagem, ela trouxe-lhe o seu filho Rahul. Desta vez, ela vem ter com ele não como uma mulher, mas como um presente e entrega do seu filho à Buda. Muitos de nós talvez não saibam que o filho de Buda também se tornou um monge. Só sabemos a primeira parte da história que o Buda abandonou a esposa, fugiu dos deveres, e afins - isso é só um lado da história. Na verdade, sua esposa percebeu a grandeza de Buda, e trouxe o filho, e entrega-o a Buda. É por isso que eu digo, jñān ī também pode levar outros para o caminho sagrado. Pode não acontecer no mesmo dia, na mesma hora, mas certamente acontecerá.

Domingo 24 de julho de 2022.

Junho 2022

Pergunta: Como orientamos e explicamos às crianças em casa, para trilhar o caminho da autorrealização, especialmente durante esta era digital, onde a negatividade e as distrações estão no auge e também facilmente acessíveis?

Swami: Quando alguém me perguntou: “meu filho está sempre no videogame e assistindo coisas no smartphone”, eu perguntei a ele: “quem deu o smartphone para ele? Ele foi e comprou por conta própria? Não, você deu o smartphone. Quando você está dando, você deveria estar ciente do que isso fará com seu filho. E se você está dando a ele, que é a necessidade da hora – as aulas on-line estão lá – você também deve assumir a responsabilidade de cuidar para que isso não distraia ainda mais a criança.” Então, os pais são a razão pela qual seu filho é o que é. Os pais têm que andar no caminho espiritual. Ao mesmo tempo, eles não devem se tornar pais ditadores, que é o outro extremo. Então, você tem que encontrar o caminho do meio. Você deve andar no caminho certo. Não os exponha demais às coisas — dê-lhes coisas, mas limite tudo para eles. Você limita o tempo deles assistindo TV, limita seus esportes, limita seu entretenimento. Você deu à luz a essa criança, por isso é sua principal responsabilidade criar a criança corretamente. Você não pode passar isso para alguém. Você tem que entreter a criança e mantê-la envolvida em coisas construtivas – essa é sua principal responsabilidade.

Portanto, você tem que gastar tanto tempo com seus filhos. Você tem que tornar divertido para eles estar com você, brincar com você, conversar com você, discutir com você. Apenas passar um telefone e se livrar de seu filho porque você tem muito trabalho de escritório para fazer ou muitas outras coisas para fazer, é simplesmente fugir da responsabilidade. Depois de decidir se tornar pais, vocês devem se comprometer com a ideia de paternidade/ maternidade . Esta é uma grande responsabilidade. Se você cria uma criança de forma errada, você destrói a sociedade - você cria uma criança de forma certa, você redime a sociedade. Então, como pais, seu primeiro e principal dever é criar seus filhos corretamente. Isso significa que você precisa passar mais tempo com seus filhos, para evitar que eles sejam superexpostos às mídias sociais – você precisa dar tanto tempo de qualidade ao seu filho. Você tem que se envolver com a criança. Deixar seu filho com a mídia para entretê-lo é muito errado. Você é responsável por seu filho.

De 'Diálogo com o Divino' - Sessão de Perguntas e Respostas de Sadguru Sri Madhusudan Sai com a Juventude em Cingapura, abril de 2022.

Maio 2022

Pergunta: Como triunfamos sobre as distrações?

Swami: Sua vida pode apresentar muitas distrações. Vocês começaram em Mudenahali e seu destino era Kodaikanal. No caminho, vocês passaram por muitas cidades diferentes; havia a cidade de Bengaluru, uma cidade muito atraente, com muitas lojas, lugares para ir e coisas para ver e desfrutar. À medida que viajavam mais, vocês se deparavam com outra cidade, depois com outra e outra. Havia muitas dessas cidades, que poderiam ter oferecido coisas bonitas para ver, desfrutar e experimentar, mas seu objetivo estava muito claro em sua mente: “À noite, devo chegar a Kodaikanal, Swami estará esperando para nos receber”. Como vocês tinham aquele único pensamento em mente, não perderam tempo permanecendo em Bengaluru, ou indo ao cinema, ou comendo em um restaurante ou encontrando amigos que moram no caminho. Vocês viajaram sem parar para Kodaikanal e chegaram a tempo. Se está em sua mente o pensamento único e direcionado de que vocês não devem apenas alcançar a Deus, mas também devem alcançá-Lo a tempo, serão capazes de superar todas as outras distrações. Só se vocês não levam a sério a chegada a Kodaikanal e acham que é tudo bem chegar lá mesmo depois de uma semana, vocês permaneceriam em Bengaluru, Chennai, Madurai, Coimbatore ou Dindigal e continuariam dando voltas e mais voltas, por causa das distrações, nunca alcançando Kodaikanal. Finalmente, a gasolina acabaria, o ônibus pararia e sua viagem terminaria abruptamente.

A vida é uma jornada. Vocês começam no ‘eu’ e voltam para o ‘eu’. Conforme viajam, haverá muitas distrações, como nome, fama, riqueza, descendência e assim por diante. Não é correto vocês apenas se acomodarem com as distrações. Sim, vocês podem parar em Bengaluru para tomar um café, porque isso os refresca; ou podem parar em Dindigal para almoçar, porque lhes dá energia para seguir em frente. No entanto, pensar que qualquer uma dessas paradas é o seu destino é serem pegos na ilusão de maia. Elas não são o seu destino. Enquanto sua educação, família, trabalho e todas as outras associações os ajudarem a continuar se movendo em direção a Deus, elas não são distrações. Elas apenas se tornam obstáculos em seu caminho se os desviarem do caminho de Deus.

Quando o pai de Prahlada, Hiranyakashipu, lhe ordenou não seguir a Deus, ele desistiu de seu pai. Quando Meera não foi autorizada por seu marido, Rana, a seguir a Krishna, ela desistiu de seu marido. Quando Bharata não teve permissão de seguir a Rama, ele desistiu de sua mãe, Kaikeyi. Quando Vibhishana não teve permissão para viver no darma, ele desistiu de seu irmão Ravana. Todos os relacionamentos que não permitem que vocês sigam em direção a Deus são distrações.

Tudo o mais pode ser abandonado pelo amor de Deus, porque vocês só podem alcançá-Lo com esse tipo de mumukshutvam, ou desejo de libertação. O desejo de chegar a Kodaikanal e de estar na presença de Deus é tão forte que nenhuma distração no caminho os desvia dele. Da mesma forma, o desejo de libertação deve ser muito, muito forte. Desenvolvam essa firmeza. Lembrem-se de que o único destino é Deus e não criem outras raízes no caminho; se vocês fizerem isso, nunca alcançarão seu destino. Vocês precisam ter essa clareza. Tudo o mais se seguirá, mas apenas se vocês tiverem clareza. Isso é o necessário.

Não é suficiente ter manushyatvam, ou seja, nascer como ser humano. O desejo de libertação deve ser muito, muito forte, e com isso deve vir mahapurusha samshrayah ‒ a companhia de pessoas boas e nobres que os levará em direção ao destino final. Se elas não forem nobres, desistam delas, como Prahlada desistiu de Hiranyakashipu, Bharata desistiu de Kaikeyi, Meera desistiu de Rana e Vibhishana desistiu de Ravana. Abandonem as más companhias, fujam das más companhias, isso é muito importante na vida. Sejam Sempre Cuidadosos (em inglês Always Be Careful) ‒ A-B-C. Se forem cuidadosos, estarão sempre alegres. Hoje em dia, as crianças são admitidas nas escolas e só se ensina que é preciso tirar boas notas e bons diplomas porque, com isso, conseguirão um bom emprego, um bom salário, uma boa esposa, bons filhos e assim por diante. Na realidade, elas deveriam ser informadas: “Seu único objetivo é alcançar a Deus. A maneira pela qual você alcança a Deus, seja por meio da educação ou não, com família ou sem, é de importância secundária”. Sua primeira prioridade tem que ser Deus, após a qual todas as outras prioridades podem ser definidas. Se vocês têm que comer e sua primeira opção é comida vegetariana, vocês vão a um restaurante vegetariano. Essa clareza é muito importante. Se vocês entrarem em um restaurante não vegetariano e pedirem comida vegetariana, não é culpa do restaurante se vocês não a encontrarem; vocês escolheram errado. Portanto, escolham corretamente. Escolham a Deus e Ele escolherá vocês.

DISCURSO DE 12 DE MAIO DE 2015, EM KODAIKANAL

Março 2022

Pergunta: Quanto tempo Baba ficará nessa forma sutil antes de retornar como Prema Sai na forma física?

Swami: (Flicking) Se eu disser isso, não vá contar aos outros. Guarde para você.

Devoto: Todo mundo quer saber.

Swami: Continuarei assim até que Avatar Prema Sai assuma a missão, aos 19 anos. Quantos anos ele tem agora? Ele tem apenas sete anos e meio de idade. Ainda há tempo. A forma atual continuará por mais 10 a 12 anos, até que Prema Sai venha e assuma a missão.

Hoje, eu também sou Shirdi, como Shirdi Sai, e também estou lá como Sathya Sai. No futuro, estarei lá como Prema Sai. Isso não significa que Shirdi Sai e Sathya Sai não existam mais porque Prema Sai chegou. Continuarei nesta forma para os devotos que Me veneram nesta forma.

Por causa da missão, sim, quando Prema Sai completar 19 anos, Ele cuidará de tudo. Ele também virá para Maurício. Naquela época, você terá um enorme mandir em Maurício - um templo Prema Sai. Todos os devotos virão ao mandir e Ele também chegará lá. Seu principal trabalho será viajar por todo o mundo, não apenas para a Índia, porque Ele pertence ao mundo inteiro e encontrará todos os povos do mundo. Até lá, o mundo também terá passado por muitas mudanças. As pessoas estarão cansadas do materialismo, porque tentarão encontrar a felicidade em todas as coisas externas, mas não a encontrarão. Naquela época, todos eles começarão a olhar para dentro. Assim, Ele será um Mestre espiritual indo para todas as partes do mundo, ensinando a mais alta verdade. Isso vai acontecer. Até lá, as coisas continuarão assim.

11 a 14 de dezembro de 2018 - Satsang Divin Maurício

Fevereiro 2022

Pergunta: Swami, ultimamente, tomei consciência do conceito de autoconfiança. Quando queremos desenvolver nosso caráter e confiança, como o abandono a Deus desempenha um papel nessa área? Estou confuso. Queremos confiar em Swami para nos ajudar em tudo, então isso nos permite desenvolver um caráter forte e desenvolver nossa confiança?

Swami: Você deve entender o significado da palavra "eu", que você usou. Um pássaro está sentado no galho de uma árvore e, por causa da brisa, o galho continua balançando, mas o pássaro não se preocupa com o galho. Se um homem se sentar no galho, ele ficará extremamente preocupado porque sabe que, se o galho quebrar e cair, ele também cairá, mas o pássaro está em paz sentado no galho porque não confia no galho, mas na força de suas asas. Pode voar para longe em caso de perigo. Depende de si mesmo, não depende do galho em movimento e, portanto, não tem medo, não está preocupado. O verdadeiro eu é a divindade que está em você. É o poder divino que faz seu coração bater, que faz você respirar a cada momento, que faz seus olhos verem, seus ouvidos ouvirem e a comida é digerida. Tudo acontece através desse poder divino. Se você depende desse poder divino, saiba que as coisas não estão em suas mãos, é Deus quem faz tudo através de você. Esta é a verdadeira autoconfiança. Dependência ou confiança em seu verdadeiro eu, que é Deus, é verdadeira autoconfiança. O abandono ocorre quando você acha que algo pertence a você e quer oferecê-lo a Deus. Se nada pertence a você - tudo pertence a Deus - onde está a questão do abandono? Abandono significa que existem dois seres, um é você, o outro é Deus, mas se tudo pertence a Deus, se tudo existe graças a Deus, não há nada para dar. Portanto, se você realmente acredita que Deus é aquele que faz tudo através de você, e que você realmente depende de Deus, então não haverá senso de ego, não haverá senso de apego a nada, não haverá senso de distinção ou diferenciação entre as coisas. Você saberá que o Deus que trabalha através de você é o mesmo Deus que também trabalha através de outras pessoas. Todos são fantoches nas mãos de Deus. É Deus quem decide como todos devem desempenhar sua parte. Se você tiver esse profundo senso de entender a natureza de nossas vidas e depender de Deus, que é realmente aquele que age, embora ele seja invisível, como o marionetista é invisível, você desenvolverá a verdadeira confiança, que está livre de qualquer ego.

A confiança não é o ego, a confiança é a força para aceitar qualquer desafio sem medo, sabendo muito bem que Deus está com você. Confiança excessiva leva ao ego. O que é excesso de confiança? Confie. É quando você pensa que é o ator, que nada pode machucá-lo e ninguém pode impedi-lo. Esse tipo de ego indesejado é confiança excessiva, mas uma pessoa que é totalmente confiante, autoconfiante, que depende do Si Mesmo, sempre será humilde, sempre estará em paz. Portanto, não há duas coisas como abandono e autoconfiança. A autoconfiança é em si um abandono, porque você realmente depende de Deus e de mais ninguém.

23 de setembro - Murwillumbah, Nova Gales do Sul - Austrália

Janeiro 2022

Pergunta: Swami, como podemos nos abandonar completa e verdadeiramente a Você, na prática, no dia a dia?

Swami: Antes de fazer qualquer coisa, pergunte-me e faça o que receber como resposta. Não deixe sua mente tomar uma decisão. Por exemplo, você vai ao mercado, sua esposa pode ter dito para você comprar vegetais. Antes de comprar os vegetais, me pergunte: "Devo comprar batatas ou tomates? Eu tenho que comprar um quilo ou meio quilo?

Tudo o que você faz na vida, me pergunte. Quando você me faz uma pergunta, a primeira resposta que você recebe de dentro é a Minha voz. Siga-a. Não discuta ou debata. Simplesmente faça isso. Isso levará à aniquilação da sua mente e ego. Enquanto houver ego, não pode haver abandono. O ego nada mais é do que se identificar com "tal ou tal". Você deve me perguntar antes de fazer qualquer coisa, e apenas fazer o que seu coração lhe diz para fazer - e nada mais, o que os outros possam pensar ou dizer. Se você praticar isso diariamente em cada ato, desenvolverá abandono.

Londres, Reino Unido, 27 de agosto de 2014

Página 1 de 3

Log In or Register